Logo Blog Nutror Action. Desenvolvido por especialistas. Pensado para você.

Fortificação de alimentos: importante ferramenta nutricional para manutenção da saúde populacional

Biscoitos fortificados

A vida agitada e o dinamismo dos dias atuais exigem de nosso organismo uma maior quantidade de nutrientes para manter-se em bom funcionamento e, na ausência de algum deles, o corpo se desequilibra e deixa de funcionar corretamente. Os alimentos nem sempre são suficientes em qualidade e quantidade para satisfazer a necessidade do organismo, e como resultado, os profissionais de saúde recomendam a complementação da alimentação com nutrientes para compensar a falta dos mesmos em nossos alimentos.

Os alimentos naturais são as principais fontes de micronutrientes para o organismo, tanto os de origem vegetal como animal. No entanto, os alimentos hoje raramente contêm vitaminas, minerais e oligoelementos essenciais suficientes. 

Além da biodisponibilidade dos alimentos, outros fatores de risco relacionados à deficiência de alguns minerais e vitaminas incluem a baixa ingestão dietética, necessidades fisiológicas aumentadas em algumas etapas da vida, como gravidez e lactação, privação social e analfabetismo, infecções frequentes com parasitas, diarreias, distúrbios de má absorção, entre outros.

alimentos fortificados

O interesse em desnutrição de micronutrientes aumentou muito nos últimos anos e uma das principais razões é a percepção de que essa desnutrição contribui substancialmente para doenças. Em, 2000, o Word Health Report identificou deficiências do iodo, ferro, vitamina A e zinco como um dos fatores de risco de saúde mais sérios do mundo. Além das manifestações clínicas mais obvias, a desnutrição de micronutrientes é responsável por uma ampla gama de deficiências fisiológicas não específicas, levando a redução da resistência a infecções, distúrbios metabólicos e atrasos ou comprometimento do desenvolvimento físico e psicomotor.

 As implicações para a saúde pública da desnutrição de micronutrientes são potencialmente enormes (Allen, Benoist, Dary e Hurrell, 2019).

Em geral, as quatro principais estratégias de intervenção em uso para melhorar os níveis de micronutrientes deficientes na dieta são:

  1. O aumento da ingestão de alimentos ricos nesses micronutrientes. Ou seja, a diversificação alimentar;
  2. A administração periódica de doses elevadas desses micronutrientes (suplementação);
  3. A fortificação de um ou mais itens alimentares comumente consumidos;
  4. A biofortificação (Lee, Hamer e Eitenmiller, 2000).

Fortificação de alimentos

A fortificação ou enriquecimento de alimentos é um processo de adição de um ou mais nutrientes contidos naturalmente ou não em alimentos processados, com o objetivo de reforçar seu valor nutritivo e prevenir ou corrigir eventuais deficiências nutricionais apresentadas pela população em geral ou de grupos de indivíduos.

Atualmente, a OMS – Organização Mundial da Saúde reconhece quatro categorias de fortificação:

Fortificação universal ou em massa: geralmente ocorre de forma obrigatória e consiste na adição de micronutrientes a alimentos de consumidos pela maioria da população. É indicada em países onde vários grupos populacionais apresentam risco elevado para deficiência de ferro;

Fortificação em mercado aberto: iniciativas das indústrias de alimentos, com o objetivo de agregar maior valor nutricional aos seus produtos;

Fortificação focalizada ou direcionada: que visa o consumo dos alimentos enriquecidos por grupos populacionais de elevado risco de deficiência. Pode ocorrer de forma obrigatória ou voluntária, de acordo com a significância em termos de saúde pública;

Fortificação domiciliar comunitária: tem sido considerada e explorada em países em desenvolvimento. Pode ter sua composição programada e é de fácil aceitação pelo público-alvo. Porém, apresenta ainda custo elevado, diferentemente das outras formas, e requer que a população seja orientada. Neste tipo de fortifica­ção geralmente são adicionados suplementos às refeições.

A fortificação de alimentos é a maneira mais econômica, flexível e socialmente aceitável para melhorar o estado nutricional dos indivíduos nos países em desenvolvimento. A adição de micronutrientes na margarina, no leite, na farinha e em cereais, por exemplo, tem reduzido consideravelmente a ocorrência de deficiências. Idealmente, os alimentos mais consumidos pela maioria dos segmentos da população devem ser escolhidos como veículos de fortificação (Wahlqvist, 2008).

Esta gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram

Comentários

Deixe um comentário

Categorias

Ultimos Posts

Fale com nossos especialistas

Neste ato autorizo expressamente que a Empresa MCassab utilize meus dados para fins publicitários. Fico ciente ainda que caso queira qualquer informação sobre meus dados, irei utilizar o canal de LGPD da Empresa.

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba gratuitamente os conteúdos Nutror

*Neste ato autorizo expressamente que a Empresa MCassab utilize meus dados para fins publicitários. Fico ciente ainda que caso queira qualquer informação sobre meus dados, irei utilizar o canal de LGPD da Empresa.